ano-novo

Ano novo: faça da sua expectativa um objetivo estratégico

(Se você está sem tempo para ler, você pode ouvir o nosso post. É só apertar o play!)

Ano novo, expectativas, planos, possibilidades variadas, busca constante de sucesso e felicidade… Mas como está a sua estratégia para alcançar seus objetivos? Que iniciativas você vai tomar para que seu plano entre em ação?  

Estas perguntas podem ser difíceis de responder se não estiverem ligadas a ideia de se pensar estrategicamente. As empresas que buscam uma alta performance competitiva, resultados satisfatórios, eficiência e qualidade, procuram dar forma a ideias. É o que chamamos na educação corporativa de design estratégico.

Pois é, as formas de pensar tem muito mais em comum com o cotidiano de qualquer pessoa que estipula metas para uma missão pré-determinada e tem sua própria visão de sucesso do que se possa imaginar. E para começar a entender essa relação, vamos falar sobre expectativas.

Expectativas

A época de ano novo talvez seja a que mais gera expectativas em nós. A sensação do “novo”, a energia da virada, nos dá aquele up para colocar em prática coisas que desejamos. Dessa forma, sonhamos alto, pegamos um caderninho, anotamos nossas metas e montamos um plano de voo para o próximo ano. Chamamos isso, em nossa consultoria, de mapa estratégico.

Se o cumprimento dessas metas dependessem apenas do nosso desejo, tudo estaria bem. Mas não é bem assim. Um estudo da Universidade de Scranton que acompanhou 200 pessoas em suas resoluções de ano novo apontou que 77 por cento delas mantiveram suas promessas por 1 semana, e apenas 19% por 2 anos.

Isso significa que, para que nossas expectativas venham gerar algum resultado, é preciso transformá-las em possibilidades. E isso é planejamento, isso é estratégia. Precisamos buscar as alternativas. E a essas alternativas chamamos de variáveis.

Variáveis

A própria palavra “variável” não produz uma boa impressão porque não se trata de algo firme, mas inconstante. Em um mundo ideal, ela não existiria, mas a realidade apresenta muitas delas. Por isso todo planejamento tem que ser trabalhado em cima de variáveis. Elas precisam ser calculadas. A isso chamamos gestão de riscos

Ao considerarmos todas as variáveis que as nossas expectativas podem produzir, não somos pegos de surpresa e podemos nos antecipar a problemas ou riscos possíveis ao nosso planejamento. Se você está planejando perder peso, por exemplo, e sabe que existem várias dietas, regimes e práticas que possibilitam (ou pelo menos prometem) sucesso, deverá avaliar qual dessas várias técnicas poderá ser adotada e praticada de forma constante para se chegar a sua meta.

Constantes

Se a sua expectativa é passar em um concurso público e você se inscreveu em vários deles, é hora de se dedicar aos estudos. O método, a rotina, os ensinamentos, os cursos aplicados, são a parte tática e operacional de uma constante de sua estratégia. A partir daí poderá medir a quantidade do conteúdo a ser estudado, o tempo de dedicação, e todos elementos envolvidos de fato em sua preparação. Isso possibilitará indicar o quanto se chegou ou o quanto se fez em números para se alcançar o objetivo. E aí o resultado, seja ele positivo ou não, passa a ser relevante sempre pois você pode recalcular sua estratégia com base em indicadores que, nesse caso, são o número de horas, quantidade de conteúdo estudado, e assim por diante.

Para que as expectativas se tornem fatos, precisamos que nossas variáveis se tornem constantes. E quanto mais constantes forem as iniciativas e ações, mais perto estaremos do nosso objetivo.

Resultado

Vamos considerar que sua resolução de ano novo é de aprender um idioma. Chegar ao final do ano conseguindo se comunicar da melhor forma possível na nova língua é o resultado que se deseja atingir.

O resultado é a meta em si e é a parte mais importante em qualquer estratégia. A expectativa exige resultados e o planejamento é essencial para que isso aconteça.

Como vimos, as metas de ano novo tem muito a nos ensinar sobre planejamento estratégico, pois falam de expectativas, variáveis, constantes e resultado. Todos eles são componentes, elementos, conceitos e fundamentos essenciais para a estratégia.

Expectativas podem trazer problemas, variáveis podem levar a erros, fatos podem ser inconstantes, mas se tivermos uma boa gestão estratégica as expectativas se transformam em boas ideias e as variáveis se consolidam fatos constantes. E para múltiplas situações nós temos uma estratégia.

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.